segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Mysterium? Via!

Eu escrevo porque a vida me dói. E me dói em agudo.
Eu canto porque a minha alma não cabe em mim.
Eu danço porque a loucura precisa de um corpo assim.
Eu faço a minha sinfonia, a minha própria orquestra.
Eu me faço de trovadora solitária, que para o rei governa.

Eu sorrio e crio a cena. Meu palco e meu espetáculo.
Eu fecharei as cortinas sozinha e sairei com aplausos.
Eu me dou o luxo de roubar a cena e os holofotes.
Eu encanto se quiser, como o canto da sereia, só por atuar.

Eu faço o jogo e faço as regras.
Eu dito a hora em que você sai da cena.
Eu digo, ainda, quando você deve se calar.

É pequeno, o prazo.
É um simples cenário.

Só essa vida que eu tenho para estrelar.

2 comentários:

Tiago Veloso disse...

Uuuui, poderoooosa!
Sobe e arraaaasa, nem! :D

TE AMO. <3

Igor disse...

que isso..
tá ficando metida agora hein..
uhauhauhauha
cheio de frases de efeito!!!
to gostando d ver seu blogger..
vc está de parabénsss!!!

bjaummm