segunda-feira, 28 de julho de 2008

One day, one room...

Um dia eu sei que você vai sentir falta da minha pele, do cheiro do meu perfume ou da forma como eu penteio o meu cabelo. Um dia, quando eu não estiver mais aqui, tudo irá mudar e você verá o quanto precisa de mim. Um dia você sentirá falta das minhas verdades, das minhas histórias sem sentido, do meu riso calado. Um dia você saberá como tocar o horizonte e vai lembrar de mim em cada gota de chuva que cair. Um dia você vai olhar da janela, ver a cidade cinza e lembrar dos nosso céu azul. Um dia você vai lembrar das promessas não cumpridas, das frases não ditas, dos medos em mim. Um dia você vai lembrar do sol que não vimos, das ondas que não pulamos, das estrelas que não contamos. Um dia você vai lembrar das minhas cicatrizes, entender porque eu era triste, achar a artista adormecida em mim. Um dia você vai pendurar quadros na parede, rabiscar folhas em branco e perceber que era feliz. Um dia você vai olhar fotografias, tocar uma melodia, levar flores para mim. Mas nesse dia, esse tão distante e breve dia, eu não vou estar mais aqui. Você vai querer chorar e não terá lágrimas para derramar por mim. Um dia você vai entrar numa igreja qualquer, reclamar da solidão, rezar uma oração e entender porque eu parti. A vida nem sempre tem sentido e assim, talvez, devesse ser. Não vai ser fácil para mim. Não vai ser fácil para você...

Um comentário:

Igor disse...

eiii...
mais um texto bem escrito...
essa é a minha irmã...

mas esses ultimos post estão meio macabros...
parece q vc não está bem...
mas mesmo se isso for só impressão..
ele está otimo!!!

bjaumm